investimento_anjo_voce_sabe_o_que_e

Investimento-Anjo: Você Sabe O Que É?

Categoria: 

Investimentos são fundamentais para o crescimento de qualquer negócio. Mas nem sempre uma boa ideia de negócio nasce acompanhada de capital necessário para fazê-la acontecer de fato.

Nesses casos, a parceria com um investidor anjo pode fazer toda a diferença. Ele pode ser um empresário, um empreendedor ou um executivo que já alcançou o sucesso e tem recursos suficientes para apostar em novas empresas.  Ao contrário do que muitos pensam, esse investidor não é milionário, filantropo e também não está preocupado apenas em faturar. Para muitos destes homens de negócio, poder aplicar sua experiência, apoiando novas empresas é um fator essencial.  E é justamente por isso que ele também é chamado de “anjo”.

Originalmente o termo Angel Investor nasceu nos Estados Unidos, no início do século 20, para batizar os endinheirados que bancavam os custos de produção das peças da Broadway. Por envolver não somente capital financeiro, mas também intelectual, esse tipo de apoio ficou conhecido também como Smart-Money.

O que o investidor ganha com isso?

Funciona assim: o investidor-anjo faz um aporte de capital e, em contrapartida, recebe uma participação societária minoritária no negócio. Ou seja, ele não assume posição executiva na empresa, mas atua como um conselheiro e faz parte das decisões importantes.

Segundo a Anjos do Brasil, maior organização de fomento ao investimento anjo do país, os investidores têm se unido em grupos de 2 a 5 empreendedores para diminuir riscos e repartir a responsabilidade de se dedicar ao empreendimento.

Como obter um investimento-anjo?

Normalmente os investidores-anjo procuram negócios inovadores, com mercado potencial crescente, alta possibilidade de rentabilidade e necessidade de investimentos que não ultrapassem R$ 1 milhão. Nesse cenário é comum que a startups se destaquem, mas qualquer tipo de empresa com esse perfil pode se beneficiar.

Para conseguir o aporte de recursos e a nova parceria é fundamental ter, no mínimo, um plano de negócios sólido. Ter apenas uma ideia na cabeça não é atrativo para empresários experientes que buscam um negócio com futuro.

Já existem diversas aceleradoras e instituições que fazem a ponte entre os empreendimentos promissores e os investidores. Cada uma delas possui regras diferentes de cadastramento, mas todas costumam bater na mesma tecla: o dono do negócio precisa ter expertise e um plano de negócio viável – e de preferência já em curso – para entrar para o grupo.

Quer saber mais sobre esse mercado?

Confira o perfil do investidor-anjo brasileiro segundo uma pesquisa da Anjos do Brasil

  • O número de investimentos deste tipo saltou 11% no período entre julho de 2013 e junho de 2014, totalizando R$ 688 milhões investidos, contra R$ 619 milhões do período 2012/2013.
  • O total de investidores-anjo no Brasil cresceu 9%, passando de 6.450 pessoas para 7.060
  • O valor médio por investidor também aumentou: passou de R$ 96 mil no período 2012/2013 para R$ 97.500 em 2013/2014, um aumento de 2%.

 

Compartilhar

Comentários

Quem sou eu?

fred-abrahao

Graduado em Direito pela UNIFRAN, o empresário abriu seu primeiro negócio aos 19 anos. Com o know-how e determinação de quem começou cedo no mundo dos negócios, em 2007 criou a Direito de Ouvir e em 2016, a Seu Gado, empresas inovadoras em seus segmentos no Brasil.

Leia mais...